No 9º dia de greve, protestos continuam e parte de postos de combustíveis é abastecida na Bahia

Nesta terça-feira (29), manifestantes ainda impedem passagem de caminhões e carretas. Tráfego flui normalmente para os demais veículos.

Caminhoneiros seguem com protestos na manhã desta terça-feira (29), 9º dia de paralisação, em rodovias federais baianas e na BA-535, conhecida como Via Parafuso. Na maioria dos pontos de manifestação, a categoria ainda impede passagem de caminhões e carretas. O tráfego flui normalmente para os demais veículos.

Alguns postos no estado já conseguiram abastecimento e registraram filas em Salvador. O transporte público também começa a funcionar normalmente na capital baiana.

Veja os principais reflexos da paralisação no estado

Posto em Fazenda Grande 2, Salvador (Foto: Ivis Barboza/G1 Bahia)

Posto em Fazenda Grande 2, Salvador (Foto: Ivis Barboza/G1 Bahia)

Combustível

Em Salvador, alguns postos foram abastecidos, registrando filas de motoristas, enquanto outros estabelecimentos permaneceram fechados. Os motoristas que encontraram combustíveis reclamam que os preços estão mais caros. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) divulgou que fez escoltas, em conjunto com a Polícia Militar e Exército, para transporte de combustíveis no estado.

Alimentos

Um dos centro comerciais populares mais importantes de Salvador, a Feira de São Joaquim, na região de Água de Meninos, amanheceu com o comércio quase parado. Desde que começou a greve dos caminhoneiros, há nove dias, o movimento de abastecimento e de procura por mercadorias caiu consideravelmente, como apontam os feirantes.

Ônibus circulam normalmente em Salvador nesta terça-feira (29) (Foto: Andreia Silva/ TV Bahia)

Ônibus circulam normalmente em Salvador nesta terça-feira (29) (Foto: Andreia Silva/ TV Bahia)

Transporte público

Depois de quatro dias de redução, os ônibus de Salvador voltaram a operar com 100% da frota nesta terça-feira (29), contudo o movimento nos pontos foi abaixo do normal, até por volta das 9h.

Aeroportos

A assessoria de imprensa do Aeroporto de Salvador informou que segue com operação normal. Foram recebidas duas cargas de combustível no último final de semana sob escolta da Polícia Militar. Na segunda-feira (28), uma nova quantidade de querosene de aviação chegou ao aeroporto com o apoio do Exército e da Polícia Rodoviária Federal (PRF). O atual suprimento garante a regularidade dos voos programados e demais aeronaves que passam pela capital baiana.

Rodovias com protestos

A concessionária Via Bahia informou que os pontos de protesto da BR-116 Sul continuam. Os manifestantes impedem passagem apenas para caminhões e carretas. O tráfego flui normalmente para os demais veículos. As cidades com pontos de bloqueio são: Santo Estevão, Itatim, Milagres, Jequié, Poções, Manoel Vitorino e Vitória da Conquista, no sudoeste baiano.

Ainda segundo a Via Bahia, não há protestos na BR-324, entre Salvador e Feira de Santana, a cerca de 100 km da capital baiana.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), na BR-101, em Alagoinhas, nordeste do estado, desde a segunda-feira (28) os caminhoneiros não ocupam mais os acostamentos da rodovia e estão parados nos postos.

Ainda conforme a PRF, na BR-116 Norte, em Feira de Santana, no bairro Cidade Nova, e na cidade de Teofilândia, os caminhoneiros continuam parados no acostamento. A situação é a mesma na Br-324 Norte, em Riachão do Jacuípe.

Segundo a polícia, na BR-101, na região de Santo Antônio de Jesus, os motoristas continuam parados em três pontos: Muritiba, Cruz das Almas e Santo Antônio de Jesus. Na noite de segunda-feira (28), os policiais rodoviários fizeram uma operação e conseguiram negociar a saída dos caminhoneiros, mas no início da manhã desta terça-feira eles retornaram para o protesto.

Rodovias estaduais

Na BA-535, a Via Parafuso, o protesto ocorre no km 10, conforme a concessionária Bahia Norte. Os manifestantes liberam apenas ônibus e carros, impedindo passagem de veículos pesados. Desde segunda-feira (28), a BA-526, conhecida como CIA Aeroporto, está liberada.

Por: G1 Ba

Use o Facebook para comentar sobre este post